sexta-feira, 29 de abril de 2011

Seguir em frente, como fazer? @depoisdosquinze.

Minha intenção aqui não é escrever um texto com “Faça isso“ ou “Não faça isso”, afinal, quando o assunto é relacionamento a gente sempre acaba tomando a decisão que melhor nos convém, mesmo tendo consultado milhares de amigos, parentes e revistas femininas, a gente sempre faz o que o coração manda. Mas, vendo uma amiga minha enfiar o pé na jaca e fazer tudo errado, eu decidi escrever este post com tudo o que eu gostaria de falar para
ela, mas não posso.
Para vocês entenderem a história, ela simplesmente não consegue superar o ex, mas o problema não é esse, afinal, no coração a gente não manda. Ela não entende que não é proibido sofrer, chorar, se estatelar no sofá e esperar que o mundo acabe em barranco pra que ela nem se de ao trabalho de se levantar.
Ela não entende que é permitido ouvir músicas românticas, assistir comédias românticas e praguejar em frente a TV porque por alguns momentos você se dá conta de que aquilo só acontece em filme. Sofrer pode! Se forçar a algo é que não pode.
Tenho certeza que aquele desespero de provar para o mundo e principalmente para o ex que você consegue superá-lo, é que fode tudo. Você não tem que provar nada pra ninguém, então sofra que nem uma cachorra por um tempo. O homem que você amava terminou com você, é normal se sentir a pior porcaria do mundo. A bolacha quebrada que sobrou no pacote e ninguém quer. Não é normal colocar roupas curtas e ir para baladas com a pomba gíria no corpo, rindo igual uma hiena e bêbada como uma vaca, enquanto dança até o chão pra que os amigos dele vejam como você está bem.
Aliás, como diria Frejat, rir de tudo é desespero. Os amigos dele estão cagando pra você. Eles fazem parte do clube do bolinha e certamente contarão para o amigo, no caso seu ex, como você estava se comportando de forma ridícula na balada x. Não fique amiga dos amigos dele. Primeiro porque o intuito é seguir em frente, e ficar amiga dos amigos dele não ajuda em nada, é como continuar parada na mesma situação. E nem água pode ficar parada, não é mesmo? Não importa se você fez uma amizade bacana com eles enquanto namorava seu ex, acabou, its over, lets move on. Eles ainda são amigos dele e não seus amigos. Imagina só se suas amigas quisessem continuar amigas do seu ex?
Seguir em frente não quer dizer que você precisa assumir um novo relacionamento em uma semana. Nem faz bem porque as comparações são inevitáveis. Seguir em frente não significa que você tenha que colocar fotos de todas as suas baladas no Facebook com homens lindos e roupas curtas.
O nome disso é promiscuidade, seguir em frente é outra coisa. Seguir em frente é saber que não vai ser fácil. É chorar baixinho antes de dormir porque você sente saudades de uma pessoa que não quer mais estar com você e ironicamente, deve se agarrar justamente a isso para lembrar que você tem que seguir em frente. Porque quando você finalmente se dá conta de que aquela pessoa que um dia te amou, mas naquele momento não quer mais estar com você, não importa o que você faça, seguir em frente é a única coisa que pode fazer. Para esquecer um ex não existe fórmula, tão pouco prazo. É só acalmar o coração e deixar o tempo correr… Não existe melhor remédio!

Já escolheu o presente da sua mãe? @depoisdosquinze.

Dia das mães
Ainda faltam alguns dias, maio ainda nem chegou, mas nós aqui do Depois dos Quinze já estamos no clima do dia das mães. Data importante, já que é nesse dia que comemoramos a existência de uma das pessoas mais importantes da nossa vida: MÃE.
CURIOSIDADE: Pra quem não sabe, o Dia das Mães também designado de Dia da Mãe teve a sua origem no princípio do século XX, quando uma jovem norte-americana, Anna Jarvis, perdeu sua mãe e entrou em completa depressão. Preocupadas com aquele sofrimento, algumas amigas tiveram a ideia de perpetuar a memória da mãe de Annie com uma festa. Annie quis que a homenagem fosse estendida a todas as mães, vivas ou mortas. Em pouco tempo, a comemoração e consequentemente o Dia das Mães se alastrou por todos os Estados Unidos e, em 1914, sua data foi oficializada pelo presidente Woodrow Wilson: dia9 de Maio.
Dependendo da mãe, escolher o presente ideal se torna uma terefa super difícil, pensando nisso, selecionei alguns itens bacanas de lojas seguras e parceiras do blog, para que você se inspirem ou comprem:
O que comprar no dia das mães?
1 – Brinco Consuela Crown
2 –  Vestido Nude Romance
3 –  Bolsa Laço Amo Muito
4 - Pulseira Paz, Amor e Proteção

5 - Anel triplo equilíbrio
6 - Blusa Primavera
7 - Colar Coração "Enrolado"
8 -Brinco lacinho – prateado
9 - Sapatilha Granulado pale
10 - Kérastase nutritive
11 - Pulseira Cores que eu amo
12 - MAC Lipstick Viva Glam Gaga II (Nude)


O que comprar no dia das mães?
1 - Coastal Scents Palette
2 - Chloé Eau de Toilette
3 - Prancha Ceramic Infrared Bivolt – Gama Italy
4 – CD mulheres internacional
5 - Smartphone Samsung Wave 533
6 – Anel Waldorf
7 - Bota feminina Lia Line
8 – Sapato Feminino Lia Line
9 - Sapato Feminino Lia Line
10 –  Camisa Vintage
11 - Adesivo de Parede – Flowers
12 - Bolsa carteira laçarote rosa rendada Duas Donas
Por falar em dia das mães, a loja de calçados Lia Line está com uma super oferta para quem deseja comprar presentes até o dia das mães: Frete grátis para todo o Brasil e 10% de desconto no boleto.
Para celebrar ainda mais o dia das mães, eles disponibilizaram uma Lia Line super linda para sortear para vocês.
Modelos Lia Line
O modelo escolhido é um que eu usei lá em Paris. Ele tem um laço super fofo na lateral, e é muito (muito mesmo) confortável.
Para participar é fácil, basta entrar no loja virtual da Lia Line, escolher a sua cor predileta do modelo ( Preto – Palha Nude – Caqui) e comentar nesse post juntamente com o seu twitter, email e nome completo. Depois disso, dê RT na seguinte frase:
"Quero a #LiaLine que a @depoisdosquinze e a @lialineoficial estão sorteando. Leia, dê RT e participe também. http://kingo.to/zRh"
REGRAS:
Ser seguidora no @depoisdosquinze
Ser seguidora no @lialineoficial
Se tiver facebook, curtir o blog na barra lateral
O resultado sai no dia 09/05, pelo twitter e no dia das mães.
Então é isso meninas! Boa sorte pra vocês e para suas mamães!

Recicle-se

Nem tudo na vida acontece do jeito que queremos. Às vezes, o garoto dos nossos sonhos não sonha exatamente conosco. Outras, não temos o relacionamento que gostaríamos de ter com nossos pais ou familiares. Independente do que seja, a vida não é perfeita, mas isso não é motivo para que não a façamos ser a melhor apenas com o que nos dá.
Feliz é aquele que sabe transformar lixo em obra de arte. As dicas de reciclagem podem até servir para o meio ambiente, mas acredite: aplique-as em sua vida e elas também servirão muito bem. Muitas vezes, a simplicidade de um momento pode se transformar em sua maior felicidade, basta saber aproveitá-lo.
Em vez de reclamar e chorar, como fazemos na maioria das vezes, por que não erguemos a cabeça e tentamos tirar o melhor da situação? A verdade é que quase sempre esperamos por um feliz para sempre que não virá a menos que façamos alguma coisa. Nossa vida não é um filme de comédia romântica onde tudo se acerta no final. Precisamos nos mexer, correr atrás e fazer com que tudo aconteça – só assim, conseguiremos o que queremos ou algo ainda melhor.
Acredite: nada na vida é por acaso. Os aprendizados que ganhamos com cada erro, cada segundo que não sai do jeito que gostaríamos nos leva a viver uma vida muito melhor do que ela seria se tudo transcorresse bem. Por que, caso contrário, como saberíamos apreciar um sorriso quando o temos sempre? Inevitavelmente, é preciso o mal para termos o bem, é preciso sofrer para apreciarmos a felicidade. E é preciso descruzar os braços, para alcançarmos esse objetivo.
No fim do dia, será o esforço que fizemos para tirar o melhor proveito do que ganhamos que lembraremos com um sorriso no rosto. A vitória desse trabalho é apenas uma recompensa; o sofrimento, somente uma motivação para continuar. É claro que não é fácil – todos sabemos disso muito bem. Mas será que isso é razão para dar pra trás? Será que a alegria vale menos do que a tristeza? Feche os olhos para todos os pensamentos ruins, que te impedem de continuar, e quando abri-los, você verá um mundo inteiramente novo à sua frente.

terça-feira, 26 de abril de 2011

Trechos e textos especiais!


Depois do post "Ele terminou comigo, e agora?" recebi vários comentários pedindo trechos de livros, músicas e séries que fazem referência a esse momento tão frágil da nossa vida. Como eu adoro esse tipo de escrita, tenho um acervo imenso com os melhores e mais famosos textos. Separei os melhores, espero que de alguma forma, ajudem vocês.

NÃO NOS CONTARAM
Hoje é o momento ideal pra falar de sacanagem.
Mas nada de ménage à trois, sexo selvagem
e práticas perversas, sinto muito.
Pretendo, sim, é falar das sacanagens que fizeram com a gente.
Fizeram a gente acreditar que amor mesmo, amor pra valer,
só acontece uma vez, geralmente antes dos 30 anos.
Não nos contaram que amor não é acionado nem chega com hora marcada.
Fizeram a gente acreditar que cada um de nós é a metade de uma laranja,
e que a vida só ganha sentido quando encontramos a outra metade.
Não contaram que já nascemos inteiros, que ninguém em nossa vida
merece carregar nas costas a responsabilidade de completar
o que nos falta: a gente cresce através da gente mesmo.
Se estivermos em boa companhia, é só mais agradável.
Fizeram a gente acreditar numa fórmula chamada "dois em um",
duas pessoas pensando igual, agindo igual, que isso era que funcionava.
Não nos contaram que isso tem nome: anulação.
Que só sendo indivíduos com personalidade própria
é que poderemos ter uma relação saudável.
Fizeram a gente acreditar que casamento é obrigatório
e que desejos fora de hora devem ser reprimidos.
Fizeram a gente acreditar que os bonitos e magros são mais amados,
que os que transam pouco são caretas,
que os que transam muito não são confiáveis,
e que sempre haverá um chinelo velho para um pé torto.
Só não disseram que existe muito mais cabeça torta do que pé torto.
Fizeram a gente acreditar que só há uma fórmula de ser feliz,
a mesma para todos, e os que escapam dela estão condenados à marginalidade.
Não nos contaram que estas fórmulas dão errado, frustram as pessoas,
são alienantes, e que podemos tentar outras alternativas.
Ah, nem contaram que ninguém vai contar.
Cada um vai ter que descobrir sozinho.
E aí, quando você estiver muito apaixonado por você mesmo,
vai poder ser muito feliz se apaixonar por alguém.
(Martha Medeiros)

ELE É SÓ UM CARA
É só um cara. Não o denso lago de mistérios gozosos onde você mergulhou e ainda não submergiu. Nem o sustentáculo de todos os ossos de seu corpo, tampouco o mármore onde está gravada a suprema razão de sua existência. É só um cara.
E quer mesmo saber? É um cara como todos os outros caras.
Esse que te perguntou as horas no meio da rua – podia ter sido ele e você nem ligou. O mendigo, o ginecologista, o padre, o dealer. Ele estava ali o tempo todo. E ele não estava. Ele é só um deles. Vários. Uma legião. E ninguém.
É só um cara. E não a sua vida. E não todos os dias da sua história. E não todas as suas lágrimas juntas em um único sábado solitário. Ele não é o destino. É um cara. Existem muitos destinos.
Ele é só um cara que mal sabe escolher os próprios perfumes. Não sabe sangrar. Não sabe que nome daria a um filho. Não pode ficar mais tempo. Ele é só um cara perdido como muitos outros caras que você encontrou. E perdeu.
Ele é só um cara. E você já esqueceu outros caras antes.
(Autor desconhecido)

JOGUE FORA
Jogue fora o que te faz mal, o que não te pertence mais, aquele amor que insiste em permanecer na sua memória. Acredite, outros virão, ele não é único, talvez por um momento ele foi o mais importante, mas agora ele não é mais, ACABOU! Ele ta em outra? Agora é você quem vai estar! Comparações, lembranças, memórias? Já não servem de nada.
Prefira ficar sozinha do que estar com alguém que não te ama o quanto você merece e acredite: se for para ser será. Viva a sua vida, mude seus planos, faça coisas diferentes. Acredite mais em você, assim verá que aquilo era o que você queria naquele minuto, naqueles meses, naquele ano, mas não é o qe você vai quer pra sempre.
Você sempre achará alguem que te completará e novamente ele será único, assim por algum tempo será o mais importante, mas com o passar do tempo você vê que consegue viver sem ele e tudo volta a ser como era antes de você conhecê-lo. Você é única. VALORIZE ISSO!
(Autor desconhecido)

MUDANÇAS
Assim como as estações, as pessoas têm a habilidade de mudar. Não acontece com freqüência, mas quando acontece, é sempre para o bem. Algumas vezes leva o quebrado a se tornar inteiro de novo.
Às vezes é preciso abrir as portas para novas pessoas e deixá-las entrar. Na maioria das vezes, é preciso apenas uma pessoa que tenha pavor de demonstrar o que sente para conseguir o que jamais achou possível. E algumas coisas nunca mudam. E que comece o novo jogo.
(Gossip Girl, série)

APRENDE
Eu tenho vontade de matar as pessoas que colocam TUDO no orkut, exemplos: “Aiii porque você me deixou? Estou triste!”, “Feliz porque ele me ama!”, “Eu não quero mais você!”, “Minha mãe brigou comigo!”, “Meu peixe morreu!”… Etc. Eu tenho vontade de esfregar a cara delas no chão.
Tem que sofrer muito minha filha, tem que ser largada por um milhão de homens e vê se aprende que amor não se implora. Vê se aprende que se ele gosta, uma frase no orkut não significa nada. Vê se aprende que se ele não gosta, você pode escrever até o RG dele no seu orkut, ele nem vai ter a capacidade de ler.
Aprende. Aprende. Aprende que dói menos.
(Tati Bernardi)

CICLOS
Enquanto não encerramos um capítulo, não podemos partir para o próximo. Por isso é tão importante deixar certas coisas irem embora, soltar, desprender-se. As pessoas precisam entender que ninguém está jogando com cartas marcadas, às vezes ganhamos e às vezes perdemos.
Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida. Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.
(Fernando Pessoa)

E vocês, tem algum trecho ou texto que fica anotado na última folha do caderno para aqueles momentos de desespero e angustia, quando o em cérebro deixa, mesmo que só por alguns instantes, o coração comandar? Comenta aí e compartilha com a gente.

O falso bem-me-quer

Desde que nascemos, somos colocados no mundo à volta de coisas e pessoas, tendo a escolha de gostar ou não gostar. Com o tempo percebemos que os sentimentos envolvidos em “não gostar” são infinitamente mais fáceis de lidar do que os de “gostar”. Quando não gostamos de algo e achamos alguém pra compartilhar desse “desgosto”, ficamos muito felizes em ter mais alguém pra não gostar de uma coisa junto com a gente, independente de quem essa pessoa seja e do que ela represente na sua vida. Já quando gostamos de algo e achamos alguém com o mesmo gosto, é muito mais comum você começar a ter mais raiva daquela pessoa se você já não for com a cara dela do que mudar sua opinião porque vocês compartilham do mesmo gosto. Essa inquietação em saber que algo que você gosta também é gostado por outra pessoa é o famoso ciúme, sentimento que você achava só estar presente no seu namoro ou nas suas amizades.
Sentir ciúme é tão complexo quanto tentar explicar o que é estar enciumado. É uma situação que sempre envolve três vertentes, no mínimo: você, o objeto/pessoa em questão e a suposta ameaça. Apesar de ser um sentimento natural que todos sentirão pelo menos uma vez durante a vida, o ciúme exacerbado pode se tornar obsessão. O sentimento causa grande ansiedade e sempre é causado pelo medo de perder.
É engraçado como o próprio ciúme consegue ser ciumento. Ele não consegue ser um sentimento sozinho, pois carrega consigo a insegurança, o egoísmo, o medo e o ódio, sempre embalados por uma vertente bem perigosa do medo, o “medo de perder”. O ciumento sempre fica em busca de algo para cavar sua própria cova e alimentar mais sua dor inventada.
Engana-se quem pensa que ciúme tem a ver com amor entre duas pessoas. O único amor com o que o ciúme tem a ver é o amor próprio. Ciúme é pura vaidade. Vem disfarçado de bom moço com falsos sentimentos de proteção ao bem amado, mas só faz mal; tanto a quem cultiva o sentimento quanto a quem o ciumento “protege”.
Se você ficou esperando eu falar no final “mas um pouquinho de ciúme faz bem”, sinto lhe decepcionar. Não compactuo desse senso porque acho ciúme uma coisa extremamente chata. Isso não quer dizer que eu não sinta ciúmes. Claro que sinto, todo mundo está fadado a sentir. A diferença é que eu procuro entender de onde ele vem e o que e porque eu estou com medo de perder. Depois de analisar, eu mesmo lido com minha insegurança, sem ter que arrastar as pessoas junto comigo pra um problema que vem de mim e é totalmente meu. Não pense que ciúme é sentimento entre duas pessoas. Ciúme é sentimento de uma pessoa só. Resolva o que te aflige antes da sua aflição resolver-se por você. É sempre melhor cortar o mal pela raíz.

domingo, 24 de abril de 2011

Entra aspas: O quase.


Ainda pior que a convicção do não é a incerteza do talvez, é a desilusão de um quase. É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi. Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou. Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono.
Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor não me pergunto, contesto. A resposta eu sei de cor, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "Bom dia", quase que sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz. A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai. Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são. Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza.
O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si. Não é que fé mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência porém, preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer. Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros amores impossíveis, tempo. De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance.
Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar. Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.

Entre Aspas: O gigante

Ontem eu ensaquei o Lorenzo, nosso filho que você me deu em uma das nossas milhares de brigas sem fim e sem jeito. Ele me olhou triste, passivo e impotente, assim como eu também olhei para ele e assim como tenho olhado para o mundo. Dei um abraço forte no nosso urso e chorei que nem uma criancinha de cinco anos que sofre porque está com rinite alérgica e tem que tirar os brinquedos de pelúcia do quarto. A realidade acabando com a brincadeira mais uma vez. Depois foi a vez das fotos, eu beijei uma por uma e guardei numa caixa, coloquei a caixa num canto escondido e alto do armário, no mesmo canto escuro e esquecido por onde anda meu coração. Olhei meu lindo vestido novo e pensei o quanto ele era feio porque eu nunca o colocaria para você. Olhei meus sapatos novos e pensei como seria triste usá-los sem nem saber direito para onde ir. Olhei minha velha cara no espelho e tive muita pena do quanto aquele rosto ainda ia esbugalhar os olhos para o teto lembrando que você disse que nunca desistiria. Vire e mexe tenho essa vontade de cortar alguma parte do meu corpo, para ver se esguicho pra longe esse sangue contaminado que incha meu corpo de dor e me emagrece de vida.
Tenho vontade de me fazer feridas porque parece mais fácil cuidar de um machucado externo e curável. Outro dia desses eu estava numa padaria com um amigo e ele me perguntou se eu queria um chaveirinho de ursinho, eu disse a ele que só queria morrer, se ele poderia me fazer esse favor. Coitado, ele nunca mais ligou. Ainda bem, só você podia me dar chaveirinhos de ursinho, quem esse cara pensa que é? Outro dia desses eu estava num bar com um amigo e ele começou a falar de todos os filmes, livros e músicas que eu tanto queria que você falasse. No final da noite eu só queria estar ouvindo aquela merda daquele cd do Alpha Blond, esses intelectuais de merda não chegam aos pés do seu sorriso e nunca vão ter de mim esse amor tão puro, tão absurdo e tão sem fim que eu tinha por você.
A fidelidade não é uma escolha e nem um sacrifício, ela é uma verdade. Por mais que eu tente, só sinto nojo. A gente não se fala mais, eu nem sei mais por onde você anda, eu até tenho o impulso de tentar de novo com outros homens, mas eu só sinto nojo. A Lolita vive cheirando por baixo da porta e olhando triste para o interfone, outro dia minha mãe perguntou notícias suas e quando ela ouviu seu nome, enfiou a cabeça no meio das patas e só ficou triste, ela se parece comigo mesmo. Depois do passeio na Liberdade com meu amigo tem um encontro da mulherada no café alí do Itaim. Depois tem cinema com outra amiga e depois, se eu estiver a fim, uma baladinha na casa de outra. Eu tenho um milhão de motivos pra fugir de pensar em você, mas em todos esses lugares você vai comigo. Você segura na minha mão na hora de atravessar a rua, você me olha triste quando eu olho para o celular pela milésima vez, você sente orgulho de mim quando eu solto uma gargalhada e você vira o rosto se algum homem vem falar comigo. Você prefere não ver, mas eu vejo você o tempo todo.
Eu torço pra não fazer Sol, eu torço pra não chover, eu torço para acordar no meio do dia, eu torço para o dia acabar logo. Eu torço para ter alguma coisa que me faça torcer, que me diga que eu ainda sei torcer por algo mesmo sem torcer pela gente. Minha dança é queda equilibrada, minhas roupas novas são fantasias, meu sorriso é espasmo de dor, minha caminhada reta é um círculo que sempre me traz até aqui, meu sono é cansaço de realidade, minha maquiagem é exagerada, meu silêncio é o grito mais alto que alguém já deu, minhas noites são clarões horríveis que me arregaçam o peito e nada pode me embalar e aquecer, o frio é interno, o incômodo é interno, nenhum lugar do mundo me conforta. Minha fome é sobrevivência, minha vontade é mecânica, minha beleza é esforço, meu brilho é choro, meus dias são pontes para os dias de verdade que virão quando essa dor acabar, meus segundos são sentidos em milésimos de segundos, o tempo simplesmente não passa.
Às vezes tento não ser eu, porque se eu não for eu, eu não sentirei essa dor. Mas o amor é tanto que até as outras todas que eu posso ser também o sentem. Hoje menos que ontem, amanhã menos que hoje, e por aí vai. Vou implodir esse gigante dentro de mim e soltar seu pó a cada manhã sem fome que faz doer o corpo todo, a cada banho sem intenção, a cada tarde sem recompensas, a cada noite sem magia, a cada madrugada sem paz. Um dia o gigante vai cair morto igual ao King Kong e chega dessa dor, dessa incerteza, desse silêncio, dos dias se arrastando, do ódio, das imagens doentias na minha cabeça, da saudade espada que furou meu centro e aumenta o diâmentro a cada movimento. Só vai sobrar uma tristeza eterna em saber, como todos que já viram esse filme sabem, que o rei da selva, o dono do pedaço, o forte, o poderoso, o assustador, o monstro inabalável que bate no peito e destrói qualquer um, só queria ser amado pela frágil mocinha. Daqui de longe, enquanto escrevo esse texto chorando mais do que cabe no meu rosto, ouvindo pela milésima vez a música do Damien Rice e sem vontade nenhuma de ter vontade nenhuma, eu escuto seu riso alto, exagerado e constante. E eu só consigo ter mais pena de você do que de mim.

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Epifania!

Feche a porta e apague a luz. Arrume tempo para isso e não se esqueça daquilo. Feche os olhos, durma logo, tente não pensar em nada – nem em ninguém. O sono não aparece, os pensamentos nostálgicos dão as caras. Passarinhos cantam na janela. Acorde logo. Músicas chatas – são suas prediletas.
Não acredite nos contos de fadas. Seja uma princesa. Encontre um cara. Finja que não se importa com ele. Deixe as borboletas nascerem, mas não as liberte tão facilmente. Entregue-se. Não se perca de você mesma.  Tente definir o amor com as mesmas palavras de sempre. Convença alguém que você acredita nisso. Beije-o.
Seja você hoje. Ame quem ama quem você é, não quem você foi. O telefone toca. Não é ninguém, mas você tem que atender. Escreva mentiras em folhas de papel amassadas e as jogue onde a pessoa certa possa encontrar no momento errado. Aproveite antes que vire rotina.
Você não está em uma competição. Elogie suas amigas. Sorria para desconhecidos. Você não precisa concordar com seu espelho. O que tem dentro importa mais. As vezes dói e queima. Dias cinzas são assim.
Um batom diferente, porque não? Ninguém notou. Mentira. Você se acha linda com ele. Isso importa.
Tenha personalidade.
Não mude por quem não muda nada pra você.


quinta-feira, 21 de abril de 2011

Gabs, Ray ♥

20 curiosidades sobre a banda: Arctic Monkeys


1. Alex Turner e Jamie Cook aprenderam a tocar guitarra trabalhando nas canções do terceiro álbum do Queens Of The Stone Age, “Songs For The Deaf”. Então, eles foram afortunados em conhecer Josh Homme e companhia alguns anos depois em uma entrevista da NME.
2. Arctic Monkeys são grandes fãs do “Padrinho do Soul” James Brown. Em seu primeiro show, eles entraram no palco ao som de “The Payback”. Na escola, Alex usava jeans nos quais ele tinha escrito “I’ve got soul and I’m super bad”, em tributo ao Brown.
3. Quando eles estouraram pela primeira vez, em 2006, a mídia os colocou como “a primeira banda da geração Myspace”, graças ao seu uso da divulgação online das músicas. Na verdade, nenhum deles jamais teve um Myspace ou Facebook pessoal. Alex diz que nunca nem olhou para ambos os sites.
4. Não há animosidades entre Arctic Monkeys e o ex-baixista Andy Nicholson. Na verdade, em agosto de 2008 Nicholson se juntou à Matt Helders para um DJ Set em Ibiza. Os dois tocaram um pesado set de hip-hop.
5. A banda é famosa por ser blasé sobre aparecer na TV. Após ganharem um BRIT Award em 2006, eles aceitaram o prêmio via mensagem de vídeo. Nela, toda a mensagem foi feita pelo membro do “We Are Scientists” Keith Murray, apresentado como o quinto membro da banda, com o objetivo de confundir a platéia.
6. Em setembro de 2005, quatro meses antes de “I Bet You Look Good On The Dancefloor” se tornar nº. 1 no Reino Unido, Alex Turner descreveu a canção como “Um pouco merda. As palavras são uma porcaria. Poderia ser um grande sucesso, mas eu odiaria pensar que seríamos conhecidos por essa música, porque ela é uma bosta.”
7. Os coloquialismos britânicos da banda causaram muita confusão nos EUA. A revista “Rolling Stone”, em uma tentativa de ajudar os leitores a entenderem as letras da banda, explicaram que “chavs” eram “personagens de ação brancos da classe trabalhadora, ridicularizados por seu estilo de vida festeiro e conhecidos por seu comportamento boçal e consumo chamativo”.
8. A canção “When The Sun Goes Down”, que fala de prostituição, é baseada nas experiências da própria banda. Alex Turner explicou: “Nós costumávamos praticar nessa zona industrial perto do skate park em Neepsend e, gradualmente, conforme o sol ia se pondo, todas as prostitutas e os “pimps” iriam sair para “brincar”. Em uma ocasião nós tivemos uma prostituta batendo na janela de um carro pedindo dinheiro”.
9. Arctic Monkeys não são grandes fãs do “Radiohead”. Em uma entrevista à NME, eles se referiram sarcasticamente à uma sessão no rádio, que tinham ouvido na noite anterior, durante a qual Matt “quase caiu no sono” de tédio.
10. Fãs famosos da banda incluem Daniel Craig, Kate Moss e Noel Gallagher.
11. Jamie Cook uma vez brincou que um dia explodiria se cérebro pela pressão da fama. “Eu farei 25 anos – boom! Todo mundo vende mais quando se matam”.
12. Quando perguntados sobre como seria se assistir na tela do cinema, Nick disse: “É como se ver em uma foto e pensar ‘Eu pareço um pouco ferrado’”. Alex adicionou: “Sempre que eu me vejo falar, desejo que todas as minhas falas tivessem sido uma sentença mais curtas”.
13. Apesar de ser reconhecidos como um dos 50 melhores letristas britânicos, Alex Turner originalmente escondeu suas habilidades de composição do resto da banda. “Letras eram um assunto complicado,” ele explicou. “Ninguém queria admitir que as escrevia. Mas eu secretamente vinha escrevendo desde a escola e adorava. Eu só não dizia nada para não caçoarem de mim”.
14. Helders, por muito tempo zombado pelo resto da banda por seu jeito de vestir, agora tem sua própria linha de roupas, através da marca Supreme Being. Ele mesmo já desenhou várias peças.
15. O primeiro grande show que Alex foi era da banda The Vines, e ele decidiu que queria tocar como Craig Nicholls, frontman da banda. “Quando nós tocamos,” ele falou. “Eu faço o que Craig faz.”
16. Jamie ainda estava trabalhando como ladrilhador de banheiros em maio de 2005. Ele uma vez retornou de um show lotado para completar um trabalho. Ele trabalhava mais em Londres, onde podia ganhar mais que em Sheffield.
17. Alex afirma que o poeta John Cooper Clarke é uma de suas maiores inspirações. “Ele é esse cara magrelo, com uma cabeleira, óculos vermelhos e jeans, um personagem de verdade. Todos nos disseram que nós escolhemos um péssimo nome pra banda, mas ele falou ‘Isso é ótimo, não existem árvores no Ártico. Como os macacos iriam sobreviver?’ Ele pensou isso imediatamente, uma mente realmente criativa.”
18. Um dos itens mais valiosos da banda é a edição limitada do single em vinil que eles lançaram sob o pseudônimo de “The Death Ramps” em 2007. Somente 250 cópias do 7” foi feita. Ela contém as faixas “The Death Ramps” e “Nettles”.
19. Andy, ex-baixista da banda, se mudou para o ramo dos pubs. Em setembro de 2008 ele abriu seu primeiro pub, The Bowery em Sheffield. Na primeira noite, John McClure se apresentou em um show.
20. Matt tem ambição de seguir Andy no ramo dos pubs – e ele já tem um nome para o seu, The Cautious Horse. Helders explicou: “Não sei onde seria sua localização, mas queria que fosse no subsolo, de modo que não parecesse um pub. Seria somente uma porta com The Cautious Horse e você desceria as escadas”.

Maio é o mês dos shows!

Maio está quase chegando e com várias novidades. Esqueça o mês das noivas e deixe um pouco de lado o Dia das Mães: Neste ano o mês será marcado por shows ótimos em vários lugares do Brasil. Por isso, se você é fã de uma ou mais bandas que vem para cá, corra para comprar seu ingresso! E se você não conhece alguma ou nenhuma delas, não perca a oportunidade de conhecê-las. Confira:
McFly
A banda inglesa formada por Tom Fletcher, Danny Jones, Dougie Poynter e Harry Judd volta ao Brasil para promover o álbum Above the Noise. Eles começaram a ficar famosos no ano de 2004, e hoje em dia são um sucesso principalmente aqui no nosso país.
DATAS:
20/05 no Chevrolet Hall em Belo Horizonte
21/05 no HSBC Arena no Rio de Janeiro
23 e 24/05 no HSBC Brasil em São Paulo
26/05 em Porto Alegre
The Cult
A Banda de Yorkshire – Inglaterra, liderada pelo vocalista Ian Astbury, já veio para o Brasil em 2008 e agora volta para tocar faixas como "Fire Woman", "Rise", "Spiritwalker" e "Go West".
DATAS:
13/05 Lupaluna em Curitiba
14/05 HSBC Brasil em São Paulo
Mais informações dos ingressos: www.ingressorapido.com.br
Miley Cyrus
Miley, que ficou conhecida pelo seriado Hanna Montanna, vem ao brasil com a turnê Gypsy Heart, que passará por onze países, começando por Quito, no Equador, e depois terminando na Cidade do México. Este será seu primeiro show na America Latina!
DATAS:
13/05 no HSBC Arena, no Rio de Janeiro
14/05 na Arena Anhembi em São Paulo – SP
Mais informações dos ingressos: www.zetks.com
Paul McCartney
Depois de passar por Porto Alegre e São Paulo em novembro do ano passado, o ex-beatle volta ao Brasil na turê Up and Coming também em maio para se apresentar no Rio, 20 anos após sua primeira e ultima passagem por solos cariocas.
DATAS:
22 e 23/05 no Engenhão, no Rio de Janeiro.
Mais informações dos ingressos: www.ingresso.com
Jack Johnson
O cantor havaiano influenciado por Bob Marley vai trazer o show do seu mais recente álbum "To the Sea", lançado no ano passado, e passará por várias cidades brasileiras.
DATAS:
21/05 na Chácara do Jockey em São Paulo
24/05 no Mineirinho em Belo Horizonte
25/05 no Estacionamento do Mané Garrincha em Brasília
27/05 no Marina Park em Fortaleza
02/06 no Gigantinho em Porto Alegre
03/06 no Stage Music Park em Florianópolis
05/06 no HSBC Arena no Rio de Janeiro RJ
Mais informações dos ingressos: www.livepass.com
Forever the Sickest Kids

A Banda FTSK, de Dallas no Texas, formada por Jonathan Cook, Caleb Turman, Austin Bello, Marc Stewart, Kent Garrison e Kyle Burns que já lançou single com a cantora Selena Gomez, volta ao Brasil com três shows.
DATAS:
20/04 Curitiba Master Hall Curitiba
21/05 Pepsi On Stage Porto Alegre
22/05 Clube Atlético Juventus São Paulo
Mais informações dos ingressos: www.ticket360.com.br
Eae, qual show você escolheu?

Entre aspas: Ninguém

Sapato baixo, calça larga e cabelo preso. Esquentou e seus ombros tensos agradecem. Que cara bonita é essa? Já logo no elevador. Ah, devo ter dormido bem. Bom dia, bom dia. Olha, você está muito bonita hoje. Um fala, outro concorda. E pelos corredores, sorrisos dão continuidade aos elogios. O que é? Que segredo ela guarda? Que novidade é essa? Na cozinha perguntam: novo amor? No estacionamento perguntam: voltou com alguém?
No restaurante, na hora do almoço: é alguém novo? Cruza com um namorado antigo "nossa, você tá muito… é o quê? Sexo? A noite toda? Conta, vai, eu agüento ouvir". Contar o quê? No espelho, enquanto escova os dentes, fecha os olhos e sabe pra si o segredo: ninguém. Não gostar de ninguém. Nada. Nem um restinho de nada. Nem de tudo que acabou e nem de nada que possa começar. Nada. Pouco importa qualquer outra vida do mundo. Não é nem pouco, é nada mesmo. Um dia inteiro para achar gostosas coisas bobas como um pacote de pipoca doce, um tênis pink ou a hora do banho quente com músicas recém baixadas e o tapetinho vermelho.
Um dia inteiro sem escravidão. O celular, o e-mail, o telefone de casa, o ar, o interfone, a rua. São o que são e não carrascos que nada dizem e nada trazem. Um coração calmo, se ocupando de mandar sangue para as horas felizes de trabalho, estudo, yoga, massagem, dormir, bobeiras, pilates, comer, rir, cabelo, filmes, comprar, trabalhar mais, ler, amigos . É isso. Uma agenda enorme que a ocupa de ser ela e não sobra uma linha de dia pra lamentar existências alheias. Linda, ela segue. Linda e feliz como nunca.
O segredo do espelho, escovando os dentes, sozinha, aperta os olhos, segura a alma um pouco sem respirar. Segura a pasta pensando que é um pouco de alma consistente na boca. Não cospe, suporte. Ela pode finalmente suportar seu peso e não dividir isso nem com o ventinho que entra pela janela. Nem com o ralo que a espera boquiaberto. A sensação é a da manhã seguinte que o papai Noel deixava os presentes: não é mentira, é só um jeito de contar a verdade com algum encantamento.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

A Cantora Francesa!

Jonathan Joyce é uma jovem de apenas 20 anos que tem encantado o mundo com sua doce voz e o som do seu violão. Ela é uma artista que, além de interpretar e cantar, compõe suas próprias músicas. Aos dezesseis anos postou três músicas no Myspace tentando encorajar produtores a ouvi-la. Foi difícil, mas após muita insistência ela, finalmente, conseguiu uma audição. Resultado: Ao ouvir a jovem os produtores ficaram encantados com a sua naturalidade e seu talento. Seu primeiro álbum “Sur mes gardes” no começo do ano passado.

Livros & Séries: Pretty Little Liars!

Numa cidade como Rosewood, ou você é rico e perfeito ou você não é nada.
A típica cidade classe-A dos Estados Unidos tem os verões perfumados pela grama recém-aparada e corpos expostos a vitamina D e os invernos cheios de lindos casacos e chocolate quente na varanda. E claro, tem seus mais típicos cidadãos que, além de ricos e lindos, são pessoas de índole inquestionável.
Tem certeza?
Essa história começou três anos atrás, quando a Queen bee do oitavo ano resolve recrutar quatro amigas para o seu grupo de BFFs. Alisson – a queridinha Ali – é tudo aquilo que todas as meninas querem ser: linda, popular, poderosa e segura de si mesma.
E quem são as sortudas que podem estar sempre ao seu lado?
Spencer, a senhorita-estou-tentando-me-tornar-tão-perfeita-quanto-minha-irmã,-rainha-do-baile com uma tendência competitiva acima do normal e um cérebro que se pode dizer o mesmo (e se não, pelo menos uma força de vontade que sim, é descomunal). Ah, e claro, certa quedinha pelos namorados da irmã mais velha.
Hanna, a gordinha que está enfrentando a separação dos pais, não tem a menor confiança em si mesma e uma tendência à depressão curada que só pode ser curada com muitos, muitos cupcakes.
Aria, aquele menina de mecha rosa que adora ler coisas estranhas, fazer coisas estranhas e ouvir coisas estranhas, mas que tem ótimas piadas e tem um rostinho pequeno, infantil e lindo.
E finalmente Emily. A morena escultural e nadadora, que tem pai militar e uma família com tendências a manter tudo como nos antigos padrões. Daquele tipo de pessoa que nunca mataria uma aula, mas simplesmente por ser muito respeitadora à sua família. Ah, sim, mas que está lutando contra aquela vontade estranha de beijar sua amiga Ali…
E juntas, elas são as mais queridinhas de todas!
Vocês sabem, melhores amigas compartilham tudo. Incluindo segredos. A Ali gosta de dizer que é isso que as mantém unidas e parece que ela tem razão. Mas, naquele verão, as coisas mudariam de modo inimaginável e surpreendentemente misterioso.
Num dia daquele verão regado de brincadeiras estranhas sempre boladas pela Ali, como beber, fumar ou nadar num lago onde um corpo havia sido desovado, elas estavam no celeiro da casa de Spencer e bem… Naquela noite a Ali desapareceu.
Isso mesmo, assim, como gelo seco entre os dedos. Os noticiários foram ao delírio. "Garota linda e rica desaparecida em cidade classe-A". Fotos de Ali em todos os jornais. Uma cidade inteira procurando fumaça. E isso afetou a todos, especialmente as quatro que restaram. Claro, a Ali era mandona, dissimulada e era impossível dizer não a ela com todo aquele charme, mas era uma amiga incrível e deixou um buraco enorme dentro de todos nós.
Três anos depois. E nada da Ali.
Mas, as coisas seguiram. Do melhor jeito que conseguiram, quero dizer.
Aria havia acabado de voltar de uma temporada na Islândia. Ainda linda e bem mais segura de si mesma com uma personalidade formada e uma tendência a gostar de caras mais velhos e… Bem, nós vamos descobrir. Emily cada vez mais obcecada pela natação e pela luta contra sua vontade de beijar amigas (e para esquecer a Ali). Spencer se tornando – se é que ainda é possível – super-perfeita. E a Hanna: Que deixou o cargo de gordinha escoteira para se tornar à loura fabulosa, com roupas de marca e certa tendência às coisas perigosas.
E elas não são mais melhores amigas.
Bem, não até começarem a receber estranhas mensagens com segredos que apenas elas e Ali poderia saber. Mas, adivinham quem assina esses SMSs e e-mails? Acertou: – A. Mas, como pode ser?
O cerco começa a fechar-se em volta das meninas e apenas unidas elas podem resolver esse mistério tão intrigante: quem é -A, o que quer e como ela/ele pode saber de todas essas coisas?!
Embarque com Hanna, Spencer, Aria, Emily, milhares de segredos e uma leitura dinâmica, envolvente e que fazer arrepiar nesse primeiro volume de Pretty Little Liars, a nossa nova queridinha escrita pela linda da Sara Shepard. Reunindo o melhor jeito de prender a atenção de adolescente: personagens que fazem parecer que estamos lá, porque com certeza você se identificará com uma das meninas, ou mesmo com todas elas!
Se você ainda não teve o prazer de conhecê-las na série e baixe agora! (os links estão aí em baixo). Ou se você – assim como eu – acaba de ficar órfã da série e quer de volta as emoções por nem que seja alguns minutos, corre bem, bem rápido porque há emoções que só podem ser passadas por bons livros!
Got a secret.
Can you keep it?
Swear this one you'll save.
Better lock it in your pocket,
Taking this one to the grave.
If i show you,
Then i know you wont tell what i said.
Because two can keep a secret if one of them is dead.
LIVRO
Titulo original: Pretty Little Liars #1
Titulo brasileiro: Malvadas
Autora: Sara Shepard
Páginas: 296
Editora: Rocco
( Compre Aqui )

SÉRIE

Filme: Como arrasar um coração!

Se tem um medo que todas nós garotas compartilhamos, este é o de se apaixonar por um cafajeste. Quando o assunto é amor e paixão, ninguém quer participar de um simples jogo ou aposta. Mas, infelizmente existem caras por aí que vivem disso.
É desse triste fato, que surgiu o filme "Como arrasar um coração".
Na história, Alex Lippi é um tremendo de um sedutor, que conquista mulheres apenas para desfazer casais indesejados. Porém, o galã se depara com uma difícil tarefa: Separar Juliette Van Der Becq de seu noivo em uma semana.
Será que ele consegue conquistar a moça e estragar seu plano de se casar? Isso vocês só irão descobrir quando forem ao cinema no dia 06 de maio, assistir ao filme.
Se você ficou ansiosa para descobrir o desfecho dessa história, e não consegue esperar até o dia do lançamento, aí vai uma super promoção de lançamento que Imovision preparou!
O filme já está com perfis no Twitter (@ComoArrasar), Facebook e página no YouTube. E o desafio é entrar no tema do filme, respondendo a pergunta: “Como Você Arrasaria Um Coração?”.
Para participar é fácil, você só precisa postar no twitter de qual forma você arrasaria um coração, usando a hashtag #ComoArrasar, ou direcionando para o perfil do @ComoArrasar.
Olha o meu exemplo:
“Eu arrasaria um coração fingindo não ter menor interesse pelo cara! Fazendo a durona. #ComoArrasar”.
Após mandar sua frase, você deve ficar aguardando, pois a partir do dia 11 as melhores frases virarão vídeos divulgados na página do YouTube do filme (que você confere aqui).
Será postado um vídeo por dia e quando os 15 vídeos já estiverem na página do YouTube começa a campanha que dará uma Viagem para Mônaco, por um final de semana (com acompanhante) para a a dona da ideia do vídeo mais assistido.
Então, agora é correr, dar sua dica de “Como Arrasar um Coração” e torcer para que sua frase seja uma das mais criativas.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Acessórios Inverno 2011

Já comecei a faz posts sobre o inverno, (como o post sobre jaquetas e botas) e esse é mais um para você saber um pouco mais sobre a próxima estação. Não menosprezando as outras estações, mas não há nada como a elegância e sobriedade do inverno.

Assim como nas roupas e sapatos, o acessórios também seguem a mesma linha de tendências quanto a mistura de texturas, a pele (usem fake, por favor), as franjas, cores neutras, o animal print,e a mescla de feminino com masculino, por exemplo.
Meias: meias na altura das canelas ou joelhos são o must da estação.

Luvas: irão aparecer nas versões: no modelo biker, rendadas, sem dedo, longas, curtas ou coloridas.
Cintos: já falamos sobre eles aqui, marcando bem a silhueta dando um toque mais feminino.
 
 
 Maxi-acessórios: colares, pulseiras, brincos e anéis, continuam e ficam mais maxi. Correntes de diferentes tamanhos e espessuras, pedras e pérolas, plumas, peças feitas em metais, blocos de acrílico e outros aparecem nestes acessórios.
Você encontra acessórios no Lipstick and Bowtie, Tandland, lojinhas da Tanlup, ljoas de departamento, como Renner e C&A, e outros tantos lugares.

Arctic Monkeys - Brianstorm ♪

    - Some want to kisssome want to kick you
    - There's not a net you couldn't slip through
    - Or at least that's the impression I get
    - 'Cos you're smooth and you're wet
    - And she's not aware yet, but she's yours
-


O tempo e a falta!

Sempre me disseram que se deve ser feliz de dentro pra fora. Pois se é assim, então eu não sou. Eu guardo sentimentos ocultos. Eu guardo melancolia. Eu alimento minhas nostalgia.
E em dias como hoje, desenterro todo o meu passado e brinco de voltar no tempo com as palavras. De mudar o que já acabou. De eternizar o que nem durou.
Talvez a vida seja mesmo isso. Guardar sentimentos.
Eu só não consigo entender como as pessoas conseguem com o tempo, simplesmente se desfazer de tudo isso. O tempo pra mim, não muda nada:  Deixar as coisas mais distantes só faz com que a minha vontade de alcançá-las aumente.
Sinto saudade de tudo aquilo que já passou. De todos os cheiros, de todos os erros e de todos os medos. Dos amigos que se foram. Dos idiotas que me fizeram aprender o que é sofrer.
Sinto falta de caber no banco de trás do carro dos meus pais. Do meu primeiro colégio e das suas exigências sem fundamento. Da minha professora do infantil que me faz acreditar que eu era diferente.
Sinto falta de tudo aquilo que tive que deixar, de tudo aquilo que me deixou antes mesmo de chegar. Dos abraços e das lágrimas que eu não deixei cair. Da cor do meu quarto quando o sol batia pela janela. Da música que tocava naquela viagem de família.
Mesmo sabendo o final da história, eu não faria diferente. Eu faria de novo. Pra sempre.

O que os garotos acham da sua maquiagem?

Por mais que você se arrume para se sentir bonita e bem consigo mesma, é impossível negar que você se arruma para ser percebida pelas outras pessoas… Ainda mais pelos garotos. Quem nunca contou com aquela forcinha da maquiagem para se sentir mais segura num encontro? Ou quem nunca deu aquele retoque no blush só para não passar despercebida? É verdade: a make sempre ajuda a gente, de uma forma ou de outra.
Intrigada pela dúvida "Será que eu to bonita?" de sempre, resolvi ir atrás das respostas deles. Tá curiosa?
Eu comecei com a dúvida de um clássico que pode deixar qualquer garota insegura: o batom vermelho. Algumas meninas têem medo de ficarem com a boca maior, de chamarem atenção demais e, às vezes, de ficarem sexys demais. Perguntei ao Hélio o que ele acha sobre e ele disse: "Eu acho que deixa a mulher mais elegante e, em muitos casos, mais sexy. Acho que em todo lugar se pode usar batom, mas, claro, tomando cuidado com os tons em cada situação." Então tá anotado: o batom vermelho funciona.
Olho Esfumaçado
Uma outra coisa que é poderosa é a maquiagem preta esfumada nos olhos. Eu particularmente AMO fazer maquiagem preta, mas o que os garotos pensam? "Acredito que existam certos momentos para se usar uma make toda preta. A menina tem que saber onde e como usar. Em um evento mais social, noturno e por que não dizer chique? A make preta, quado usada corretamente, com uma roupa sensual, deixa a menina mais elegante e muitas vezes mais atraente. Porém é preciso um cuidado para não exagerar e ficar parecendo um panda como a Taylor Momsen", disse o Cauê. Realmente, aquela maquiagem forçada da Taylor deixa ela muito estranha. Vamos combinar? A Taylor com maquiagem natural é per-fei-ta.
Uma das modas mais legais é usar glitter nos olhos. Mas será que a gente exagera de vez em quando fazendo a Ke$ha? "Eu acho que é uma maquiagem 'especial' que não dá para usar em qualquer lugar, por exemplo, pra sair na rua. Mas em balada, de noite eu acho atraente se não houver exageros no glitter. Uma dica: lápis de olho é essencial!". Além de dar a opinião, o Guilherme ainda mandou a dica! Já sabem meninas: lápis de olho é essencial.
Quanto aos cílios postiços"Eu particularmente não gosto. Gosto de algo que seja mais natural, mais suave." Essa é a opinião do Giovanne. Eu adoro usar postiços! Mas tudo tem seu momento, claro. Uma festa legal, balada, sempre na noite. Afinal, ninguém quer fazer a drag de dia né?
Vale lembrar que opinião é opinião e cada um tem a sua. O que importa é que você se sinta bem como for. Desde que não tenha nada exagerado, tudo bem. Mas vale sempre pedir a opinião do namorado, do melhor amigo, de alguém do sexo oposto pra gente se sentir ainda mais segura.

Fernanda Mello - Crônicas Digitais : Amar é Punk

Distante.


Sinto-me distante. Distante de todos os meus sentimentos. Continuo sentindo, mas sinto de longe, como se houvesse uma barreira entre eu e eles. Não consigo mais os sentir por completo. Concordo que eu realmente precisava de férias, mas isso? Não, isso não..
É incrível, mas parece que de tanto sentir, desisti. Sinto-me fria e amarga, chego até a achar que depois de todos esses anos eu finalmente consegui congelar meu coração. A não ser por um motivo, ele. É como se nada mais me importasse e nada mais fizesse sentido. E eu realmente acho que é isso que está faltando. Se eu só consigo sentir com ele, para ele e por ele, me desculpem, mas eu não quero sair daqui jamais.
Hoje é sábado, o fim de semana mal começou e já está prestes a acabar, e a única coisa que eu queria agora, era um beijo e meus sentimentos de volta. Você de volta.

Quando o cristal quebra.


Sempre ouço dizer que confiança é como cristal: uma vez quebrada, juntar os cacos torna-se impossível. Conhecemos alguém, ficamos próximos da pessoa e, com o tempo, começamos a depositar diariamente parcelas de confiança nela. Nessa hora, o tempo funciona apenas como uma fachada para algo que, inexoravelmente, falaríamos com essa pessoa algum dia. Algo como: confio em você de olhos fechados. Clichê. O roteiro é tão natural que o indício de termos um final feliz é previsível. Até outro clichê, também inexorável, entrar em ação: a decepção. Sempre ouço dizer que todos irão nos decepcionar: cabe a nós decidir por quem vale a pena sofrer. Mas acabamos sofrendo por todos. Também é natural. Mas é um caminho com volta, ao contrário da confiança. Se alguém quebrou o cristal que sustentava o relacionamento, uma só vez basta. É o tipo da coisa que só se sentir dá pra entender. O pé atrás com aquela pessoa será inevitável, aconteça o que for. Infelizmente não há receita para esse tipo de situação. Falar para escolher os amigos ou o namorado com cautela vai soar tão mentiroso quanto um traidor de confiança. Afinal ninguém entra num relacionamento pensando no dia em que ele vai terminar. Ou num jogo pra perder. Ninguém nunca vai saber se aquele alguém em que confia não é confiável se antes não confiar nele. A decepção é a conseqüência que temos que sofrer por atitudes impensadas daqueles que mais amamos. Para isso, outra frase que sempre ouço me vem à cabeça. É a de que decepção não mata: ensina a viver. Eu sei, continua clichê, mas é porque acontece com todo mundo mesmo. Ou você acha que essas frases são repetidas toda hora por mero acaso? O segredo não é formar um muro invisível por dentro impedindo o contato das pessoas: o segredo é fazer parecer que esse muro existe para ver quem o ultrapassaria pra chegar até você.

A espera


Atrás da pista tem um bar e atrás do bar tem um sofá. Estou sentada nesse sofá. Aguardo ansiosa por algo, olho as horas no celular, checo o e-mail pelo Iphone, reclamo com minha amiga “tá demorando”. Ela me pergunta se é o show, se é a menina passar com a comida. O que é? Não sei. Mas tá demorando. Em cima do bar, no teto, tem um daqueles globos que sempre tem. Olho pro globo e penso que estou uma eternidade sentada naquele sofá. Mais de trinta anos? Descanso os cotovelos nos joelhos e me arrependo, enquanto todos querem ver e ser vistos, eu fico nessa posição feia de vaso sanitário. Minha amiga vai fumar. Eu me animo “já tenho pra onde ir”. Eu não fumo, eu odeio cigarro, eu odeio atravessar a festa inteira pra chegar até lá fora, eu odeio a amizade instantânea das rodinhas de fumantes que não se conhecem, eu odeio festas em geral, eu odeio papos de festa, eu odeio conhecer gente que não tem nada a ver comigo, e sorrir para os papos mais furados do mundo. Mas eu já tenho pra onde ir. E vou. E ao chegar lá fora, continuo achando que está demorando. Sinto falta do sofá agora. Mas quando minha amiga acabar o cigarro, eu já terei novamente pra onde ir. E assim uma festa chata me lembra muito a vida. A eterna oscilação entre ir lá fora ver e voltar pro sofá, sempre só pra ter pra onde ir. Chegou agora um ex amor. Ele entra com sua esposa. Ele me abraça enquanto ela segue em frente sem olhar pra trás. Faz aí uns 3 ou 4 anos que não damos um abraço. A gente sempre fugia das festas pra fazer sacanagem no carro dele. Não sinto saudade. Passou, faz tempo, não sinto nada. Nada. Talvez só sinta mais claro o que eu já sentia antes. Antes de sair de casa. Antes de ficar indo do fumódromo pro sofá e vice-versa. Eu só sinto agora, com esse abraço que não me fez sentir nada, com mais clareza, o que eu já sentia antes e muito antes de antes. Eu sinto que está demorando. Eu olho de novo no celular. Eu posso ir ao banheiro e isso já é um lugar para ir. Me animo. Não, não me animo. Tudo me deprime. Eu ficar chupando a barriga pra dentro pra esconder que tenho um pouquinho de pança, eu ficar me equilibrando no salto, eu ficar fazendo minha cara de “não encosta em mim”. Tudo me deprime. As pessoas falando de trabalho, as pessoas forçando falar qualquer absurdo só porque o óbvio seria falar de trabalho. E principalmente: o grupinho de moças muito altas e muito loiras que não trabalham mas estão lá porque estar nesses lugares é o trabalho delas. Tudo é tão chato mas eu fiz cabelo e maquiagem. Antes da meia noite não dá pra ir embora. Preciso me gastar um pouco pra não dormir tão antes de tudo dar errado. Eu sei, eu deveria beber. Mas pra quê? Pra achar essas pessoas legais? Pra suportar o insuportável? Sou cínica demais pra dar esse gostinho ao mundo. E eis que adentra à festa o rapaz que, não faz nem uma semana, me pedia que eu não fosse ainda, só mais um pouquinho, espera amanhecer, porque, depois, você sabe, dá tanto sono. De mãos dadas com a moça que vive dando entrevista dizendo que eles se comem mesmo, o tempo todo. E isso não me dói em nada. Foi só um moço muito bonito que durou uma semana. Mas ele também reforça meu pé inquieto batendo ritmadamente: será que demora? Não sei. Não, não demora mais. Olho pra porta e ele acabou de chegar. Eu fui na festa por causa dele. Então era isso, eu tava esperando o tal do moço que me convidou pra festa. E então ele fala comigo e encosta um pouco em mim e eu penso em ser muito honesta. Olha, fulano, eu acho tudo isso um saco, sabe? Eu odeio a cordialidade dos bichos. Todo mundo se elogia, fala de trabalho, conhece gente, faz piadinha ruim. Mas tá todo mundo pensando o que vai ter pra comer e também pra comer. Eu vim aqui porque, sei lá, desde que te vi na reunião e eram oito da noite e você estava muito cansado mas, mesmo assim, você estava muito cheiroso e falou coisas muito inteligentes, eu fiquei a fim de te beijar na boca. Então, dá pra pedir pra esse bando de amigo chato, que fica puxando seu saco, desaparecer do mapa? A menina com a perna gorda pode, por favor, nos deixar em paz? Você pode, por favor, parar de mexer no cabelo da minha amiga e parar de dar risadinha no ouvido dela e sumir daqui comigo? Não, ele não pode. Ele não é a resposta. Ah, Tati. Você deveria saber. Eles nunca são a resposta. Nunca foram. Que é que você quer? Por que você olha tanto pro celular? Existe alguém no mundo, nesse momento, que poderia te ligar agora e te deixar feliz? Não. Ninguém é a resposta. Nem o sofá, nem a festa, nem ficar em casa, nem a água com gás, nem olhar com nojo para o grupo de piriguetes vips que não prestam pra nada a não ser frequentar festas para sair em revistas e angariar empresários. Finalmente já tenho o que esperar: o carro. Finalmente já tenho o que fazer: ir embora. Na verdade a única coisa que estou sempre esperando e querendo é ir embora. De todos os lugares, de todas as pessoas. Eu não estou esperando nada a não ser o tempo todo sair de onde eu estou.
Tati Bernardi

Amadurecimento.


Já está ficando tarde, minha cama torna-se mais atraente, mas eu não quero ir embora. Não enquanto eu não puder te dizer.. Te dizer o quanto é engraçado ver seu rosto criar traços mais maduros, sua barba ficar completa, seu queixo alargar e seus olhos tornarem-se ainda mais expressivos. O quanto é engraçado, também, o fato de que você só amadureceu por fora, porque por dentro você sempre foi um tremendo adulto. Seu gosto musical nunca mudou, sua opinião e conceitos também não. Você é a única pessoa causadora de opinião da qual eu conheço. É ótimo poder ficar aqui, e sentir tão linda que é a forma como temos amadurecido juntos. Quem diria que aquele “sim” poderia mudar toda a minha história de vida? Eu nunca achei que fosse durar tanto assim.. Não que eu não acreditasse nisso tudo, na verdade, eu sempre acreditei. Ninguém nunca havia me passado tamanho conforto ou segurança como você; mas sempre achei demais, demais para mim.
Nada se compara ao que eu sinto agora, e por mais que o sono tente me derrubar ou que meu celular toque, não me deixe partir. Não antes que eu te diga o quanto eu te amo e em que proporção você faz parte de mim.

A garota do outro planeta

E eu novamente contrariei minhas promessas e cheguei perto do fim. Será que eu nunca vou aprender que é impossível respirar de lembranças? Por todas as vezes que tentei, eu deveria saber disso.
Hoje eu acordei com vontade de desejar alguém, e passei o resto do dia pensando no porque de tamanho egoísmo. Sim, egoísmo. Porque eu gastaria tanto de mim procurando alguém com as minhas medidas – como se 42 fosse difícil de achar por aqui – pra depois jogar fora? Sei perfeitamente que pra mim isso nunca dura pra sempre. Eu sempre tenho que mudar e me mudar. De novo e mais uma vez.
Chega a ser engraçada essa sensação simultânea de falta e desejo que me assombra. Por aqui as pessoas acreditam que o coração só é inteiramente feliz quando bate ao lado de alguém. Curioso. Viciante. Eu também não acreditaria que essas palavras são minhas mas, eu realmente me sinto assim.
Apesar de tudo, eu ainda gosto das pessoas, principalmente das que eu não consigo controlar. Das impossíveis e difíceis criaturas insanas e contrárias habitantes do planeta em que vivo atualmente. É interessante e intrigante a ideia de que minha mágia não funciona com todo mundo. Talvez essa seja a graça de viver agora e aqui.
É estranho escrever isso, mas, por aqui as pessoas buscam explicações no invisível, e é no que ninguém consegue ver que elas mais conseguem enxergar a realidade. Sua própria realidade. Isso não é um máximo? Elas tem uma.

Sury wolrf, 23 de Maio de 2045.
Do planeta Terra para minha primeira – e única – casa.

Bipolaridade.


Tá legal, talvez a culpa realmente seja minha.
Me desculpe, mas é que ás vezes eu sou tão bipolar.. Não é por mal, é meio "meu". Ás vezes eu preciso de um tempo para mim, um tempo meu. Um tempo para pensar. Sabe, confesso que ás vezes eu penso demais, mas é meu, cada célula do meu corpo pede por estabilidade, e se o futuro é instável, é óbvio que ele vai me incomodar.
Não é que eu não te ame mais, ou que te ame de menos. É só um "não me pergunte nada, não ouça o que eu vou te dizer, fique distante, mas não saia daqui"..
Aliás, me abraça?

Se tem uma coisa pela qual terá que passar para ficar comigo é isso.
"Respeite o meu espaço", não se canse de ouvir.

Eu sei que todo mundo tem seus erros, seus defeitos, seu jeito de ver as coisas. Mas os seus, não são bem erros qualquer, que todo mundo comete e depois se arrepende, os seus são diferentes, é como se você tivesse todas as intenções de acertar, mas em um instante seus pensamentos mudam, e lá está você errando. E eu? Fico desejando toda hora para que eu tenha forças para não te perdoar, o que chega a ser quase impossível, eu não consigo ficar sem você, mesmo que você faça a maior besteira do mundo, mas mesmo assim eu estou lá, do seu lado, falando que tudo vai mudar, e que você vai mudar e vai aprender a não cometer o erro mais de uma vez. É, eu tenho esperanças que um dia isso aconteça, meu bem! Mesmo que eu te ame, que eu perdoe qualquer coisa que você faça de errado, eu tenho coração, e ele é frágil o bastante para sangrar todas as vezes que você vem me pedir perdão.

Ela sempre esteve lá.


Ela está lá todo dia. É daquelas que maquia bem, suas roupas são impecáveis e seu perfume é inesquecível – apesar de já terem dito que nunca a viram tão bonita quanto naquele sábado que ela passou o dia de pijama e com o cabelo preso. É inteligente, escreve como ninguém, trabalha, estuda, sai com as amigas e ainda arranja tempo para ir na manicure toda semana. Ela adora gastronomia contemporânea e medieval mas não dispensa uma miojo em noites preguiçosas ou um McDonalds depois da balada. Diz as frases certas e sorri quando gostaria de gritar. Adora crianças e cachorros, quer casar, ter filhos e já pensou em como seria usar seu sobrenome. Mas não se preocupe, ela sabe melhor do que ninguém o tempo de cada coisa.
Ela é daquele tipinho, sabe? Que gosta de dançar, gosta de beber, gosta de viver. Sabe quando parar mas não para até ELA desejar. Ela manda na sua própria vida mas deixa você escolher o cardápio do dia. Quando você diz que não gostou da roupa dela, ela lamenta e vai assim mesmo. Sua opinião, suas escolhas, seu jeito – não tente mudar. Sabe fazer lasanha, ponto-cruz e dengo. Alguns dias prefere champagne e música alta, outros prefere pizza e cobertor. Ela é uma surpresa, ela adora surpresas. É o tipo que diz preferir dar presentes do que receber, mas seu coração sempre se derrete com aquele laço vermelho na sacola da sua loja predileta. Adora jóias mas dá um imenso valor pra aquela flor que você fez com o guardanapo do restaurante ou aquela rosa que você comprou do tiozinho enquanto ela ia ao banheiro.
Todo mundo nota que ela é especial. Ele não nota, ele nunca notou. Ela sempre esteve lá. Mas até quando?

Quando Deus.

''Amor é quando Deus mesmo sabendo que eu erro todo dia, sempre me dá uma chance de aprender e fazer diferente.''